Quem Sou Eu?

No Franks
Manoel Virgílio Pimentel Côrtes, nascido no Rio de Janeiro, em 03 de dezembro de 1931 –  sagitariano e, em Madureira  –  suburbano. Casado, sendo formado como Orientador Educacional e aposentado pelo serviço público federal, fez do soneto sua forma de expressão. Tem três livros publicados, “Mulher Estelar”, “Tratos de Amor e Outros Tratos” e “A Terra em Agonia”, além da participação em várias Antologias. É membro efetivo da “Academia Virtual Sala de Poetas e Escritores” ,membro  titular da Academia dos Poetas da Língua Portuguesa, ocupando a cadeira que tem como patrono Vicente de Carvalho, membro da “Associação Internacional Poetas Del Mundo”, sendo seu Cônsul por Laranjeiras. Rio de Janeiro – RJ, Embaixador da Paz pelo “Cercle Universel Des Embassadeurs de La Paix – Suisse/ France” e membro correspondente da “Academia de Letras e Artes Buziana” .         Importante: – torcedor do Fluminense, com paixão!

“Ego Sum Qui Sum”

Eu sou quem sou e nada mais eu sou.
Um nada, apenas ínfima parcela
De quanto a eternidade já gerou,
Um grão que frente ao tempo se esfacela.

Eu sou quem já viveu, mas não morreu
E vive sua espera p’ra morrer.
Que em sua vida pouco sucedeu,
Porém que, ainda, espera acontecer.

Sou quem quer ser alguém, não é ninguém,
Mas luta essa batalha tão constante
De tantos, os que esperam por instantes.

De tantos, os que buscam ir além,
Que são, mas que não sabem o que é ser,
Que vivem, mas não sabem o que é viver.

Estatísticas até 31/01/2015:

Visitas no Windows Life 141443
Visitas no Word Press      29421

Total de Visitas – 170.804

Postagens –                962

Comentários –              476

Seguidores 7

Meu Blog, desde 15 de Outubro de 2005.

Este blog – Meus Versos – foi iniciado em 15 de outubro de 2005, através do Windows Live. A partir de 25/01/2011 tive que emigrar para o Word Press. Perdi minhas listas de blogs e sites, as fotos, as imagens e o arquivo só foi postado a partir de dezembro de 2006. Até abril do ano de 2010 o blog já tinha 141443 visitas (último registro que anotei no Windows Live) às quais, no primeiro dia de cada mês, irei adicionando os totais no Word Press, conforme registrado nas estatísticas do blog.  Ao realizarem uma visita, querendo  postagens mais antigas, cliquem sobre mês e ano, no arquivo à direita.

Entrem! Críticas e comentários serão bem aceitos.

Meu Blog

Meus Versos

Eu verso, nos meus versos,
Temas que são diversos
E críticas expresso,
Por meio de meus versos.
Nem sempre são diretos,
Nem mesmo são tão certos,
Contudo, se incorretos,
Sem terem mui sucesso,
Não seja, assim, perverso,
São seus …. todos meus versos!

Manoel Virgílio

Meu novo blog
“Frases e Provérbios”
http://mvirgiliopc.wordpress.com

Você

Você
Manoel Virgílio

Se você dorme co’os anjos,
meu ciúme é de você.
Quero ser um seu arcanjo,
para dormir com você!

Se você for para o Inferno,
vou para lá, com você.
Serei seu Diabo eterno
p’ra me queimar com você!

Sou, no Paraíso, Adão,
para você ser minha Eva,
co’a maçã, sair da treva!

Você, Isolda e, eu, Tristão!
Eu, Pery, no Guarani
e, você, … minha Cecy!

Cinzas

Cinzas
Manoel Virgílio

Em cinzas, assim finda o carnaval,
em cinzas vai findar a própria vida.
Alguns serão notícia no jornal,
p’ra outros, só o fim de suas lidas.

Em cinzas toda a vida se resume,
ao pó o nosso pó se juntará.
O corpo consumido pelo lume,
e o espírito, ninguém sabe aonde irá.

De cada carnaval ficam lembranças,
da vida, de alguns, contam estórias.
Em cinzas findarão nossas andanças,
são restos que não guardam as memórias.

As minhas, não querendo ser hilário,
as joguem no meu vaso sanitário!

Carnaval é Alegria

Carnaval é Alegria!
Manoel Virgílio

Aberto o Carnaval com alegria,
e, assim, para o trabalho, há u’a lacuna.
São quatro, ao todo, os dias de folia,
isentos que o destino, ao fim, nos puna.

Excessos nesses dias têm franquia,
prescrevem ao findar o carnaval.
Relevem-se estes mesmos à alegria
que deve, nesses dias, ser geral.

Rei Momo, comandante folião,
passistas, as baianas, colombinas,
os clovis encontrados nas esquinas.

Esquecem-se as agruras e a razão,
vivendo o carnaval com muito amor,
as cinzas logo apagam este calor.

Estória De Carnaval

Estória de Carnaval
Manoel Virgílio

Menina, ela se vê fantasiada
nas ruas, desfilando, sem saber,
porque co’aquela roupa que enfeitada,
incômoda, tão quente, a querem ver.

Já moça, ela vestindo a fantasia,
cantando vai dançar co’a multidão.
Já a veste com prazer, com alegria,
buscando ter um par, ao coração.

Adulta, convivendo co’a folia,
todo ano, na avenida, a desfilar,
o amor no carnaval a procurar.

Idosa, guarda antigas fantasias,
o samba, ainda, prova ter no pé,
porém, em Pierrot, não faz mais fé.

È Sexta, Treze!

É Sexta, Treze!
Manoel Virgílio

É sexta, treze, e eu não saio de casa!
Se saio, minha vida ao certo atrasa.
Mandinga me fizeram p’ra este dia,
perigo de eu entrar naquela fria.

Na rua, eu acho um chato que me chama:
– querido… e vem pedindo, logo, grana.
Um outro vem dizendo que me ama,
e u’a louca quer que eu deite em sua cama.

A gripe vai virando pneumonia,
remédio não encontro em drogaria.
Cerveja, no boteco, só há quente
e versos não mais vêm à minha mente,

Se saio, piso em casca de banana
e, assim, fico de molho uma semana!

A Solidão Dos Homens

A Paz
Manoel Virgílio

A paz não se fará através de guerras,
senão nunca a teremos sobre a Terra.
Não pode haver a paz pelos canhões
e enquanto alguém viver sob grilhões.

A paz tem tudo a ver co’a liberdade,
co’o fim da violência nas cidades.
Que cessem os confrontos de nações,
cultivem sempre a paz, religiões.

Jesus e Maomé, amor pregaram
e a paz aos seguidores inspiraram.
Não há como esses sejam inimigos
e que ódio em suas mentes tenha abrigo.

Se todos acreditam num só Deus,
então, às desavenças, deem adeus.

Assombro

Assombro
Manoel Virgílio

Notícia assombrosa nos jornais,
relógio unido a tablet e celular!
E, ainda, os viciados querem mais,
quem sabe… cozinhar, lavar, passar!

Qual Einstein previu, tecnologias,
já fazem gerações mais idiotas.
Aqueles que as mais usam, hoje em dia,
o fazem pelas ruas, quando em rotas.

No trânsito, o perigo eles ignoram,
quer seja dirigindo ou caminhando,
lá vão, ao celular, o digitando.

E, sempre, aos aparelhos que mui adoram,
na escola, no trabalho, em refeição,
estão, os viciados, em ação!