Sonetos: Dezembro e Janeiro

  Pensaram que me esqueci do soneto de Dezembro? Nada disso e já segue, também, o de Janeiro. Em Julho , completo a série! 

Dezembro

 

Dezembro, mês de confraternizar.

Presentes p’ra o Natal, há que comprar.

Chegou Papai Noel, o saco às costas,

P’ra ceia de Natal, as mesas postas.

 

Natal transmite a todos muito amor,

Abraços são trocados com vigor.

As festas se repetem e os empregados,

Ao lado dos seus chefes estão sentados.

 

Crianças, no Natal, com seus brinquedos,

Alegram nossas praças com folguedos.

Indago, ante a alegria desses petizes,

Por que somente poucos são felizes?

 

Seria muito bom, se todos dias,

Houvesse, entre os homens, essa energia.

 

Manoel Virgílio

 

 

Janeiro

 

Primeiro de janeiro, feriado,

Começa bem o mês que é de férias.

As praias muito cheias , muito quente

Receita que é perfeita à toda gente.

 

Cansados de, na véspera, na praia,

Os fogos deslumbrantes, mil belezas,

Acordam na areia e o sol raia;

Agora é a vez da natureza!

 

O sol vem surgindo, muito forte

As águas estão geladas para o banho

Contraste, frio e quente, muito estranho.

 

O povo do subúrbio busca o norte

E deixam, para trás, Copacabana,

A praia que é de todos! Isto é bacana!

 

Manoel Virgílio

 

Anúncios

Feliz Ano Novo , para todos meus amigos.

 

 

 FELIZ ANO NOVO

 

Feliz seja este ano que inicias,

Que o vivas com saúde, todos dias.

Que tenhas muito ouro p’ra gastar

E o tempo que mereces para amar.

 

Se o gênio da garrafa te surgir,

Não tenhas qualquer dúvida ao pedir:

Saúde de um atleta ao competir,

 O amor, seja o maior para sentir.

 

Porém, será preciso não esquecer

O povo, deste mundo, a merecer,

Também, usufruir felicidades.

 

Assim, mais um pedido, o terceiro:

Que a paz chegue a todos por inteiro,

Que, enfim, haja entre os povos, igualdade!

 

Manoel Virgílio

Soneto

 

 

 A Alma Não Tem Idade

 

O amor, se muito vives, é veleidade,

Que a idade não permite a pretensão.

Revolta-se  tua alma que, sem idade,

Direito tem, ainda, a uma paixão.

 

O mundo discrimina a quem mais vive

E, sempre, é cruel com a verdade.

Do amor, não pode haver algo que o prive,

O amar, é que nos dá, humanidade.          

 

Porém,dizerte amonão é fácil!

Não basta ter amor no coração.

Primeiro é preciso, o que é difícil,

Do amor que tens, haver correlação.

 

Se amo a quem me ama sou feliz,

Se amo, ocultamente, infeliz!

 

Manoel Virgílio

Soneto

 

 Este soneto foi feito para uma amiga que é do jeitinho que ai está! Não posso dizer o seu nome, senão apanho!!!! 

 

Algo em Você

 

Existe algo em você, inexplicável.

Oscila o seu humor: ótimo ou horrível.

Às vezes, isto a faz , ser adorável

Em outras, pelo gênio, bem terrível.

 

É algo que eu queria compreender!

O que a faz, assim, tão pouco estável?

Amiga sabe ser, muito agradável,

Mas, um nada, a fará se aborrecer.

 

Você, sempre, se irrita sem razão;

Procura ouvir, dos outros, a opinião.

Pessoas que são, assim, ficam fadadas,

Na vida, de sofrerem isoladas.

 

Se amo o seu jeitinho, que cativa,

Odeio a maneira tão altiva.

 

Manoel Virgílio

Sonetos de Natal

 

                 Natal

 

  Fazer um bom soneto p’ra o Natal,

  Difícilnão serei original !

  Porém, para saudar cada amigo,

  Bem vale que eu corra este perigo.

 

  Amigos, eu abraço um por um,

  Não se se inimígo tenho algum.

  Porém, se por acaso, enfim, tiver …

  Desejo-lhe o bem que eu puder. 

 

  Natal !  Nasceu Jesus de Nazaré,

  Trazendo para o mundo nova !

  Natal, venho saudar todo o meu povo!

  

  Bem forte, meu abraço, fraternal

  Que todos  tenham um ótimo Natal.         

 Também, sejam felizes no Ano Novo!   

 

                    Manoel Virgílio     

                                  

O Natal e as Crianças

 

Natal, confraternização mundial.

Papai Noel ! Crianças, nas famílias,

Presentes, ganham no dia de Natal.

As outras, a sociedade humilha!

 

Assim, pobre criança que é de rua;

Diversa é a verdade, que é a sua!

belos brinquedos, em magazines.

Nas lojas, iluminados, nas vitrines.

 

Porém, nem pode vê-los à vontade.

Se entra nessas lojas iluminadas,

É expulsa como pária da cidade!

 

Natal, renove nossas esperanças!

Felizes, sejam todas as crianças,

Pois, Cristo, nunca as quis, assim, marcadas.

 

Manoel Virgílio

 

Recanto de Encantos

Coquetel de Poesias

 PRESENTES DE NATAL
Daniel Cristal

O maior e melhor presente de Natal,
é ter-vos reunido no
nosso salão
;
fruiremos do
pão e do vinho cristão

a
vela a iluminar a Deus, sem outro igual.

Nãomaior e melhor presente que o sorriso
da
esposa, dos avós, dos netos e afilhados;
do
pai que se desdobra em mil e um cuidados

para que esta festa seja riso e mais que isso

Mais que isso: o espanto da neta alegre
que no ar a alma que a há-de erguer
ao
Amor universal, e nele conviver;

Presente é presente aqui e em todo o lado,
e o
maior e melhor é tê-lO como regra
:
Ter o Amor desenhado em todo o ser amado
.

Natal de 2006 em Portugal   

 

   GRITO

  Efigênia Coutinho

 
Tenho Na alma um grito
estarrecedor de dor de
loucura, um lamento,
saído do mais  fundo de minha alma
e, vai espalhado  em todo meu ser
fragmentos doloridos e dolorosos
fazendo meu corpo soluçar de dor
entre letras e sentimentos….
 
Tenho Na alma um grito
sem dono,  seu eco ocupa
o centro onde o espírito vai
 dissolvendo-se, derretendo na dor
subindo a garganta sufocando
o ar que preciso para Viver…
 
Tenho Na alma um grito
que ninguém vê:
nem Hamlet, nem Horacio
um berro estridente, tatuado,
saindo das profundezas do meu ventre
indo pr’além do mar…
gemendo clamando….
Até se perder no infinito…
 
Novembro 2006

 

>Tolo Coração
>
Marcos Loures
>
>
Destino sempre prega tanta peça,
>
Embora muitas vezes
surpreenda
>Na
vida quase nada que te
impeça
>Recebes
com carinho em tua tenda
.
>
>
Porém se amores mostram suas caras
,
>E mordem
como fossem violentos
.
>Os
sonhos mais
difíceis anteparas
>
Em busca dos divinos, bons ungüentos
.
>
>Vivendo deste
amor qual peregrino

>
Que trama sem saber do seu caminho.
>
Amor por ser amor, faz seu destino
.
>E nele
mesmo incrusta fim e ninho
.
>
>Ao
menos se escutasse minha prece

Mas tolo coração, não obedece!

 

Ama-me  Somente

Polyana                                                     

Hoje, quanto mais a tarde  passava, quanto mais insípidas me pareciam as pequenas satisfações que a vida me dava,

 mais claramente eu compreendia onde eu deveria procurar a fonte do amor que sonho.

Hoje aprendi que ser amada não é nada, enquanto amar é tudo.

O dinheiro não é nada, o poder  não é nada.

Hoje vi que a beleza  não é nada quando se tem amor

que a felicidade é amor, isto.

Feliz é quem sabe amar.

Feliz é quem pode amar muito.

Mas amar e desejar não é a mesma coisa.

O amor é o desejo que atingiu a sabedoria.

O amor não pode possuir.

O amor não pode cobrar.

O amor pode amar.

Ama-me somente!                                  

Soneto

   

Luz e Cena

 

Eu quero claridade, quero a luz,

A luz dos olhos teus que me seduz.

Não vejo n’outros olhos, um olhar

Que possa, em momentos, extasiar.

 

Reflete teu poder de sedução,    

Que faz com que teu ser, seja adorado

Trazendo para o meu tanta paixão;

Difícil suportar, ser ignorado!

 

Recuso-me a ser um figurante

Na trama em que levas tua vida,

Porque és minha atriz, a preferida,

 

Recuso o papel de seu amante,

Pois quero em sua vida ser o autor,
E,
nunca, mero ator a fingir amor.

 

Manoel Virgílio