Confuso

 

Confuso

 

Se vejo o azul do céu, vejo você,

Mais bela não se , nem na TV.

Sonhando, eu me vejo em seus braços,

Confundo, nos céus, todos seus traços.

 

Nas nuvens, tento ver o seu retrato,

Pintura de um artista abstrato!

Ninguém possui seus olhos, tão castanhos

São lindos, mas, também, muito estranhos.

 

Profundos, neles, vejo um mistério,

Que cerca o seu ser e me alucina:

Você, nem sei se me quer ou abomina!

 

Confuso, pois não sei qual seu critério:

– Se ama a quem a ama ou despreza,

Se fica com aquele que a preza.

 

Manoel Virgílio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s