Soneto de Junho

 Soneto de Junho

 

Em junho, vinham as festas, que juninas:

São Pedro, Santo Antonio e São João.

Dos fogos, dos balões e do quentão,

Pulavam as fogueiras, as meninas.

 

Delícias que são típicas do mês:

Canjica, milho verde e o curau,

Que é do milho verde um mingau,

Pamonhas, rapaduras têm vez

 

Terrenos, de bandeiras enfeitados,

Quadrilhas, arrastam , bem na poeira,

Casais que vão dançando em fileira.

 

Mas, hoje, com costumes importados,

servem “hot dog” nessas  festas,

Que, até, o tal do “funk”, infesta.

 

Manoel Virgílio

 Continuo a série que iniciei em agosto de 2006 e que terminarei, mês que vem. A série , toda, estou incluindo no material de meu próximo livro. O soneto que mais agradou, parece-me, foi o de setembro. Quer relembrar? É fácil. Consulte o mês no arquivo do blog. MV

 
 
Anúncios

Um comentário sobre “Soneto de Junho

  1. Este soneto me fez ficar com saudade de Salvador. Adorava as comidas das Festas de São João. Aqui em Portugal, comemora-se comendo sardinhas no pão e também ouvindo música folclórica. Não gosto tanto quanto gostava daí. E também, por ventura do destino. Lembrou-me do meu pai que faleceu em Outubro do ano passado e fazia aniversário no São João. Também ele se chamava João. "João Batista de Oliveira". Homem de bom coração. 74 anos com ataque cardíaco… (Obrigada pelos sentimentos que fizeste aflorar de mim Sr. Virgílio. O Poeta continua a encantar!).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s