Dois sonetos : “Lusco-Fusco” e “Saudade …Vazio!”

 

 

Hoje. dois sonetos usando temas sobre os quais escreveram duas amigas, a Rose Mori de quem postei Lusco-Fusco. aqui e a Liah que usa diferentes nicks no Orkut (hoje está usando "a Perfeitinha", nossa!!) e que divulgou uma poesia sobre Saudade e Vazio. Aliás, outra poetisa, Marisa Rosa, também escreveu sobre este mesmo tema. Assim, vão Lusco-Fusco e Saudade e Vazio, em minhas versões.

 

  

 Lusco-Fusco

 

O tempo em que, meu estro, muito busco

É aquele em que existe o lusco-fusco.

É tempo em que o resto se apaga,

Se abre à inspiração, sempre, uma vaga.

 

Eu verso sobre as rosas, cor de rosa

Que tornam a natureza primorosa.

E verso sobre a Lua que flutua,

Que à noite me acompanha pela rua.

 

Em versos, eu descrevo as crianças

Que são nossa razão de esperanças.

Não sei se "bem-me-quer" ou "mal-me-quer"

Mas exalto a beleza da mulher.

 

Passado o lusco-fusco, se apaga a chama,

Mas, n’outro entardecer, o estro clama!

  

 

 Saudades … Vazio!

 

Saudades de quem não se conhece?

Talvez, mas como é que isto acontece?

Saudades de um amor pela Internet?

Vazio … p’ra quem, assim, se compromete.

 

Vazio de um amor que feneceu,

Saudades de alguém que já morreu.

Vazio … um outro amor já preencheu

Quem foi, aqui, alguém não esqueceu.

 

Saudades de quem foi e quem está;

Aquele que se foi deixou um vazio,

Vazio que jamais se ocupará.

 

Saudades de quem está, mas está longe,

Se foi e não se sabe se é estio;

Vazio … o coração é que esconde.

 

Manoel Virgílio

Anúncios

2 comentários sobre “Dois sonetos : “Lusco-Fusco” e “Saudade …Vazio!”

  1. Olá meu amigo, tão querido, tão apreciado e tão sentido VIRGÍLIO… Estive a passar uns momentos de introspecção e este teu poema do vazio me deixou com os olhos úmidos de emoção… Também tenho saudades, e muitas. Ao fim de 20 anos em Portugal, e ainda com muito da estabilidade financeira por resolver, me encontro às vezes abatida. Mas também recupero facilmente, e retorno, melhor do que o que fui. Já não te lia há algum tempo, e de repente fui atraída por este último poema… Um grande abraço para ti Mestre! Joice

  2. Olá meu amigo querido: Andei sumida porque o tempo está tão escasso. Estou à procura do meu novo ninho e comprar imóvel nessa cidade é pior que jogar xadrez. Menino, você não calcula a dureza! A maioria está detonado e exige grandes reformas.
    Mas não perco a esperança de encontrar o que procuro pelo preço que posso pagar. Deus é grande e um dia acontece.
    Até lá, perdoe a ausência dessa tua amiga.
    Beijos no coração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s