Volto às Musas ….

 

Volto hoje às musas. Amanhã , uma postagem extra: um soneto que já postei há tempos, mas que repito porque espelha um a situação que um  amigo está vivendo.  

 

 A Musa é Ar

 

A Musa, ao poeta, é como o ar,

Aquela que é a sua inspiração.

É ar p’ra quem precisa respirar,

É sangue que irriga o coração.

 

Ás vezes é Cupido que lhe flecha

Que atinge o seu fraco coração.

Mas n’outras é apenas inspiração;

P’ra amar, não tem aberta uma brecha.

 

A musa é quem inspira o poeta,

Sem ela, pobre vate: nada acerta.

Não tem, para os seus versos, certa a meta.

 

Poeta, os bons ares, bem respira,

Se tem aquela musa que o inspira.

P’ra ela, sempre, a porta está aberta!

 

Manoel Virgílio 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s