Soneto meu:

 

 Tua Culpa

 

Fracassos que tu tenhas, tua é a culpa

E nunca a ponhas, em outrem, com desculpas.

Enfrenta, agora, a luta qual não fez,

Na época em que era a tua vez.

 

Inveja, nunca tenhas de quem vence,

Revolta não demonstres, a quem subiu.

Desculpas, a ninguém, não mais convence,

A culpa foi de quem não assumiu

 

Se, ontem. não assumistes a verdade,

Deixando os compromissos, sempre em fuga,

Enfrenta, agora, a luta, não refuga!

 

Cuidado que, da vida, nem saudades,

Enfim, tu deixarás, se nada fez!

Depois, não haverá uma outra vez.

 

Manoel Virgílio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s