Contradição

 Hoje um soneto meu e, amanhã,  a poesia "As Mãos" da poetisa portuguesa Carmo Vasconcelos, também da AVSPE e que, pela segunda vez, apresentarei a vocês. 

 

Contradição

 

Não voltes a me falar do nosso amor,

Se falas, para mim, me cabe dor.

A dor de um amor, desilusão,

Que nunca foi real, foi só paixão.

 

As noites eram, sempre, abrasadoras.

Os dias, só de brigas, arrasadoras.

Na cama só carícias e emoções,

Ao dia, só conflitos e confusões.

 

A mim, tu me tratavas a palavrões,

Às vezes ameaçavas, bofetões.

No sexo, de meu bem tu me chamavas,

       Por abraços e meus beijos, ansiavas!       .

 

Porém, de amor, jamais me fales, não!

Cansei de só viver em contradição.

 

Manoel Virgílio

 

Respeito aos Direitos Autorais!

Deixe seu comentário clicando em “scrapt” ou mensagem. Grato.

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s