Para os Eternos Namorados

 

 

 

 

Numa praça, quem não namorou? Você não? Ainda está em tempo!

 

 

Namorando na Praça

 

Namoro, de mãos dadas pela praça,

Não há nada que tenha tanta graça.

A vida resumida em cada volta,

O amor, sempre, aos dois, fazendo escolta.

 

Depois, naquele banco de cimento,

O tempo transformado num momento.

A vida se abstrai dos movimentos,

Tão grande é no casal o envolvimento.

 

Não sabem o que se passa lá na praça,

Quem passa, quem se foi ou quem repassa,

De tudo, a lembrança se põe lassa.

 

Felizes os que vivem com a graça

Do amor que é eterno e se abraça,

Que gira e que volta àquela praça!

 

Manoel Virgílio

 

Respeito aos Direitos Autorais!

 

Deixe seu comentário clicando em “scrapt” (todos lêem) ou mensagem (só eu leio). Grato.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s