Enquanto viver, …amar!

 

 

 Resto de Vida

 

O bom é que, a vida, a bem vivi,

E, ainda, graças a Deus, estou aqui!

O tempo que me resta, isto não sei,

Com AQUELE, lá de cima, não o acordei.

 

Porém quero viver, não vegetar,

Viver enquanto, ainda, posso amar.

Depois, não mais farei qualquer questão:

– A vida perderá toda a razão.

 

Mas levo desta Terra, u’a imagem bela:

– Mulher que é uma bela aquarela,

Não acho, por aqui, nada mais lindo!

 

E lá, em outro mundo, se o houver,

Descanso, enquanto, ali, eu estiver:

– Serão todos meus dias, bons domingos!

 

Manoel Virgílio

Anúncios

Falando de Musa

 

Musa Minha!

 

Tu és aquela musa inspiradora

Que faz a minha alma sonhadora.

Nos sonhos estás, acima, qual no céu,

Um anjo encoberta em branco véu.

 

Porém quero, a teus pés, me alçar um dia,

Subir, chegar a ti… minha alforria!

Fazer de uma deusa uma mulher,

O mito ser real, é meu mister!

 

Um ninho construir com meu carinho,

E, nele, meu amor te consagrar,

Beijar teus lábios e o corpo abraçar.

 

Um sonho que não posso ter sozinho.

Preciso ter de ti, cumplicidade,

P’ra serem, meus delírios, enfim, verdades.

 

Manoel Virgílio

Hoje é Sexta-feira!!!!

Sexta-feira

 

Sorrisos são abertos, sexta-feira,

Promessas de amor vão na esteira.

Alguém que ama alguém, mas escondido,

Outrem que tem seu par já decidido.

 

Amigos, muitos amigos, lotam os bares.

Também vão os amantes a seus pares.

A sexta é, na semana, esperança,

Quem sabe se a sorte, enfim, se alcança?

 

O riso é uma taça de alegria

Que, sexta, em cada chope, enfim, transborda

Em sonhos que extravasam pelas bordas.

 

São sonhos que negar é heresia!

Se nascem na pureza da amizade

Não morrem, pois serão, sempre, saudades…

 

Respeito aos Direitos Autorais!

 

Deixe seu comentário clicando em “scrapt” (todos lêem) ou mensagem (só eu leio). Grato.

 

 

Livre, a Poesia é Linda

Poesia Livre

 

Poeta que escreve em liberdade,

Na idéia em que o belo prepondera.

Que leva ao papel sua verdade,

Seu estro, que, aos ventos, assim, prospera.

                                                                      

Despreza , em geral, até a rima,

À métrica não guarda sua estima;

Coloca as idéias pelas resmas

Poéticas, porém, nunca as mesmas.

 

Da técnica, toda, abjura.

Faz sua poesia sempre livre

Sem que isto à idéia algo prive.

 

Assim ,o importante é a poesia,       

Aquilo que o poeta diz diverso,

Do que dizem os outros, sem os versos.

 

Manoel Virgílio

Quem és tu?

Quero Te Conhecer

 

De ti, tudo desejo conhecer,

Até teu “bê-a-bá” quero aprender.

Quem és, o que tu fazes, como versas.

Nos versos ou na net, em conversa.

 

De onde é que tiras teu talento?

É ele estudado ou vem aos ventos?

Vou lendo o que escreves e admirando,

De ti, tudo que leio vou amando.

 

Já alguma coisa sei de como pensas.

Por que necessidade tão imensa?

Caluda, nunca contes a ninguém!

 

Poeta, valorizo, sempre, alguém,

Quer seja por existir uma empatia

Ou, mais o que admiro: – a poesia !

 

Manoel Virgílio

P’ra você!

 

 

Você,

 

As flores que plantei são p’ra você.

Você, que em meus programas na TV,

Nos filmes que eu vejo, é a personagem

Mais linda, e que tem a sua imagem.

 

Eu vejo em cada canto o seu sorriso

E, assim, cada vez mais o valorizo.

Por certo tanto gosto de seu rosto

Que em frente a seu retrato faço posto!

 

Pois nele vejo, grande, o seu sorriso.

Sorriso que me leva ao paraíso.

Porque em minha vida é precioso,

P’ra mim nada é mais tão prazeroso!

 

Batendo o coração, no peito, dança,

Num ritmo de amor ele balança.

 

Manoel Virgílio

Se hoje, te falar …

 

 

Se Hoje…

 

Se, hoje, te falar, serei feliz

Ouvir a tua voz é sinfonia

Pois ontem, os meus versos eu te fiz,

Amar-te é a maior das alegrias.

 

Eu amo o teu corpo, tão moreno  

Que, nu, sobre uma praia ao sereno

Inveja causa à Lua, prateada

Que nem com a luz do sol é bronzeada.

 

Se hoje não me falas, infeliz,

Não posso te dizer o que me vai n’alma

E perco, em momentos, minha calma..

 

Porém. se me seduzes, sou feliz

Eu vivo seduzido a teus pés

A ti, sempre, darei a nota dez.

 

Manoel Virgílio