Guardando lembranças

 

 

 

 

Guardados

 

Eu guardo em armários, nas gavetas,

Retratos de amigos e meus rebentos.

 Lembranças, os meus livros, as canetas,

E tudo que recorda meus eventos

 

Meus discos e meus versos, bons momentos,

Alguns quadros a óleo ou nankim.

Relógios que fascinam qual o tempo,

Eterno, mas que é pouco para mim

 

Escondo, dentro em mim e deste mundo

As dores que guardadas e reprimidas,

Ocultas em recôndito profundo,

Contudo que, jamais, são esquecidas.

 

Se guardo minhas mágoas, solitário,       

As lembram os guardados nos armários.

 

Manoel Virgílio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s