Meus Ciúmes

 

 

Minha Inércia

 

Se penso que outro a tem, tenho ciúmes

E jogo nos meus versos meus queixumes.

Oh Deus, por que cheguei tão atrasado

Você era p’ra mim ou estou errado?

 

Jamais pensei poder perdê-la um dia,

Sonhando fui deixando ir o tempo.

Porém, se já é de outro, essa alegria,

Eu, triste, amaldiçôo o contratempo.

 

Eu culpo minha inércia, qual me ponho,

Sonhando, embevecido, o tempo passo

E, enquanto sonho, eu perco seu abraço.

 

Sofri muito sofri, pois foi-se um sonho!

Poeta sonha em versos, nada alcança,

Apenas alimenta, esperanças

 

Manoel Virgílio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s