Loteria no Amor

 

 Amor é Loteria!

 

Difícil haver no amor cumplicidade,

Assim, quem tem um amor, não o vá perdendo!

E viva com seu bem, felicidade,

Porque quem perde um amor, fica sofrendo.

 

Amor é indispensável ao viver,

Mas amar sem ser amado é doloroso.

Amar só esperanças faz sofrer,

No entanto, se há retorno é prazeroso.

 

Difícil é, no amor, a parceria…

Alguém gosta de alguém, mas não o tem,

Porém, esse, também, não tem seu bem.

 

Achar um grande amor é loteria!

Jogando: – bem me quer ou mal me quer,

É sorte encontrar quem lhe requer.

 

Manoel Virgílio

Anúncios

Meu amor não é efêmero!

  

 Jamais!

 

 

Jamais meu amor , por ti, será efêmero;

                              Não troco de amor, qual troco as calças.

Volúvel, com certeza, não é meu gênero,

Não julgues, assim, em mim, premissas falsas.

 

Eu amo, mais que o corpo, a tua mente

Aquilo que eu sinto haver em ti.

Que mostra quem tu és: – és muito gente,

E, ainda que à distância, isto senti.

 

Já vi que és muito só, sem solidão,

Nem mesmo a companhia que é dos teus

Evita, isolares, o teu eu.

 

São tuas, duas formas de viver:

– À noite, sempre triste no sonhar,

Ao dia, quer alegria externar. 

 

Manoel Virgílio

Quem é Irracional? O homem ou o animal?

 

 

 

Serão os Homens Racionais?

 

Viver é competir o tempo inteiro,

Buscando conseguir o próprio espaço.

O homem mais compete por dinheiro,

Que, hoje, é o que mais guia os seus passos.

 

Também, sempre, competem os animais,

Contudo, vão lutando pela vida.

 Não matam, tal os humanos, seus iguais,

Não matam de uma forma indevida!

 

Os homens em sua luta pela terra,

Matando os semelhantes em suas guerras,

Não mostram serem “sapiens”, racionais!

 

Na luta por poder e por dinheiro,

Às vezes, nem seu sexo é verdadeiro.

Se o fazem, sem amor, são irracionais!

 

Manoel Virgílio

As Fotos

 

 

 

Momentos em Fotos

 

Um pouco de alguém que muito diz,

Flagrantes de beleza em momentos.

Momentos em que se está muito feliz

Guardados, em algum álbum, ficam aos tempos.

 

Na moça que, mais jovem, reconheço

Aquela que se mostra, hoje, madura.

Porém, essa mulher que eu conheço,

Na vida, já passou por desventuras.

 

As fotos só nos mostram em venturas.

Sorrisos os deixamos, ali, guardados,

P’ra serem, pelos tempos, relembrados.

 

 Assim. ninguém verá as amarguras

Que escondem esses rostos, retratados.

Lembranças escondidas no passado.

 

Manoel Virgílio

Homenagem à Comunidade “Amigos da Lú” (I)

Presto uma homenagem  à Comunidade "Amigos da Lú" postando poesias  da Maria Lúcia, a Lú, de Rosangela Oliveira, de Ronaldo e de Estela Maria, numa primeira parte. 

 

  Árvore

 

Pensar que vens

de um grãozinho tão singelo!

Semente preciosa caminhando solo adentro.

Padecendo humilde nas profundezas, a solidão,

as trevas, o abandono…

Buscas a força que dormita em ti mesma e rompes

como num parto a cela fria em que te aprisionas,

p’ra surgir vitoriosa rasgando a terra e se elevando

rumo ao infinito que é o teu glorioso destinar!

Apóia-te nas próprias raízes e te levanta!

P’ra na ânsia louca de servir e, deixar

 correr em seu formoso seio,

a seiva que alimenta.

Aos olhos do poeta, oferece a flor

Pela brisa balançada.

És tu generosa e altaneira amiga que oferece

ao viajor a sombra, e ao cansado da jornada

acolhes em suaves embalos que descansa

e das intempéries indefesos seres alados que se aninham

nesses braços em ramas, um suporte.

 

Árvore! Mãe, irmã de um homem

feroz que na ambição fere seu porte

E tu ainda prossegues doando o ar que respiras

a custa do sangue de suas entranhas

a própria morte! 

 

Maria Lúcia ( Lú…)

 

 

 

DE ONDE VEM A INSPIRAÇÃO DO POETA?

 

Poeta, pra ser poeta,

Tem que ser sonhador..

As cinzas e as sombras

Modelar com arte e dar a cor.

 

Usar nas palavras a beleza

Para emoldurar o cotidiano

Fazer da moça feia princesa,

Desafinada virar soprano.

 

Poeta, pra ser poeta,

Sofre e chora disfarçado.

Da alegria faz sua meta

Exaltando o ser amado.

 

 

Poeta sem inspiração

É como o mar sem viração,

É carnaval sem fantasia,

É folião sem ter folia.

 

A inspiração do poeta

Vem do amor, vem da ilusão.

Se a realidade o abate

Morre o poeta, morre a inspiração.

 

Rosangela Oliveira

                                                                       

 

 

SE EU TENHO VOCÊ

 

Se eu tenho você…

Para que servem as flores,

As palavras e as cores,

Para dizer que te amo?

 

Ser eu tenho você…

Para mostrar o meu carinho,

Seguirmos juntos este caminho

Tudo na vida é um amanhecer!

 

Se eu tenho você…

Eu não quero mais nada,

Não me importa que jornada.

Nós tenhamos que vencer!

 

Se eu tenho você…

Oh, minha doce querida,

Agora eu quero mais é viver!

 

Se eu tenho você…

Tão meiga e tão pura,

Meu mel de doçura,

 Só te amando eu quero morrer!.

 

Ronaldo

 

 

 

                   AQUARELA LUMINESCENTE                

 

Minha Alma nua e livre se rejubila

Ao som da vida aos lindos prados.

Insetos, bichinhos, brisa que sibila

Pelas folhas dos bosques orvalhados.

 

Que natureza plena exuberante

A matizar de Luzes coloridas…

Dela sou filha, sou amante,

Na aventura fortuita de um instante.

 

Que se esparrame o sol em minha vida,

Numa apoteose vertiginosa, convergente…

E na aquarela desta estrada tão florida,

– Dá-me tua mão…

Sigamos Amando eternamente!

 

Estela Maris

Ah, esses ignorantes….

 

 

Ignorância

 

Desprezo do ignorante a arrogância!

Vem, sempre, de alguém sem importância.

Sentindo que não tem qualquer valor,

Critica o que não sabe, sem pudor

 

Perdoa, oh meu Deus, a esses infelizes,

Não sabem nem onde têm seus narizes,

Pois perdem, ocasiões de estar calados,

Às vaias e vexames estão fadados!

 

Divina é, nas artes, a inspiração.

Poeta não fabrica poesia,

Assim, qual quem, da massa, faz o pão.

Artista sente o belo e o recria!

 

Quem sabe como a arte é importante,

Por certo ignora esses ignorantes!

 

Manoel Virgílio

 

Delícias da vida, mas……sempre algo atrapalha

 

 

A Vida è Uma Delícia

 

Delicia acordar com um beijo dela,

Depois de uma noite de carícias.

De ver a bel manhã pela janela,

Estraga ler o jornal com más notícias.

 

Delícia a algazarra das crianças

Que chegam ao colégio, nas manhãs.

São elas a maior das esperanças,

Porém, nem sempre aprendem coisas sãs!

 

                                                      Delícia quando o carro, vai pegando

E o trânsito não está engarrafado,

Mas, droga! O pneu está furado!

 

Delícias pela vida vou anotando,

 Felizes, com certeza, muito agradam,

Mas falhas quase sempre atrapalham.

 

Manoel Virgílio