Jesus se sacrificou e , na realidade, o mundo é o mesmo.

Se Jesus Voltasse…

Manoel Virgílio

 

Voltasse o Jesus à Cristandade,

Aqui, à reforçar sua verdade,           

Voltasse e encontrasse falsidade,

Mentira, ambição, desigualdade.

 

Voltasse e encontrasse, aqui, na Terra,

O homem, sempre, lutando por poder

E, ainda, envolvido em suas guerras

Matando aos semelhantes só p’ra ter.

 

Voltasse e, em sua Igreja, encontrasse,

Riqueza e sacerdote vendilhão;

De pobres, multidões, ainda achasse,

Nas terras, visse só poluição.     

 

 Veria, então, decepcionado,

Que fora assim, em vão, crucifixado.

 

Em 31/12, este blog fechou o ano de 2009 com 136.300 visitas.

 

 

 

 

 

O Amor Gruda e Não Sai….

 

 

 

 

 

 

 

Amor Pegajoso

 

Amor que gruda em nós é um tormento,

Pois fica pegajoso num momento.

Parece visgo de jaca ou ungüento.

Porém, sem ter um grude, eu não agüento!

 

É qual pele suada em dia quente

Que gruda em  nossa roupa, mas é da gente.

E traz, a nós, ardor quando nos inspira

E frio, à nossa alma, quando expira

 

Amor é uma questão que é da pele;

Calor que a epiderme, de nós, expele

Porém, nossa vontade, não repele.

 

Parece carrapato que em repente,

Se gruda, não no corpo, mas na mente;

E, p’ra ele, não existe repelente.


Manoel Virgílio

És Musa entre Musas…….

 

 

Musa Entre Musas

Ès musa que entre musas despontou,

Porque, ao coração me encantou.

Sorrio se te vejo radiante,

Pois deste teu sorriso sou amante.

 

Tristezas e problemas em instantes,

Dão vez a um ardor que é mais constante.

A musa é que inspira ao poeta,

Que faz a sua rima ser dileta.

 

Dileta, eis que rima co’a beleza

Que traz à natureza mais riqueza,

Em cores, exuberância, alegria.

 

Beleza a que o poeta não resiste

Porque todo o belo que em ti existe,

Integra o universo em harmonia.

 

Manoel Virgílio

 

Número de Visitas   até 25/12/09:  –  135980

Não dá mais para calar!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

Digo: – Te Amo, Enfim

 

Te amo!  Eu queria te dizer,

Difícil, porém, possa isto, eu clamar.

Clamar para os céus todo o prazer

Que sinto ao dizer: – amo, te amar.

 

Te amo, me perdoa, mas confesso,

Não dá para mais isto em mim calar.

Um culto a ti, agora, eu professo,

Te elevo, oh deusa minha, a um altar.

 

E teu será, p’ra sempre, este meu estro

Que este teu amor há de elevar,

Fazendo, o meu tema, o verbo amar

 

Te amo e, em meu canto sou maestro,

E, assim, veja em mim, em cada gesto

Que, vivo minha vida a te adorar.

 

Manoel Virgílio

Agradeço a esta homenagem do grande poeta contemporâneo Afonso Estebanez.

 
 
 
 
 
 
FACES DA LIBERDADE

Perder a sensação de ver a luz.
O jeito certo de viver por mim.
Ou perder os lugares onde pus
o meu direito de pensar assim.

O mundo é isso aí: amor e cruz
e vaidades na torre de marfim!
Da liberdade apenas nos seduz
esse canto de rosas no jardim.

Perder momentos de felicidade
é não ouvir cantar a primavera
na brisa fria da razão sem voz.

E se dá por perdida a liberdade
se o medo de viver virar a fera
que se regala de viver por nós.

Afonso Estebanez
(Dedicado ao notável poeta e amigo
Manoel Virgílio Pimentel Côrtes)

Viver somente para ela

 

 

·         Mais Que a Mim Mesmo

 

         Eu amo a você mais que a mim mesmo

         E, assim, eu vou vivendo, sempre, a esmo.

         Vivendo, a procura de um ensejo,

         De vida, com você, como desejo.

 

        A própria vida não a valorizo,

         Porque só com você me realizo.

         Viver sem ter a tua companhia

         Razão, é d’eu  perder minha alegria.

 

         Dedico a você o que serei

         O que, com minha lida, já ganhei

         E tudo que, aqui, realizei 

 

           Se vivo com você, serei um Rei

 Mas, só minha Rainha irá reinar.

          Vou a si, minha vontade abdicar.

                   

              Manoel Virgílio

 

( Nùmero de visitas, até 15/12/2009  = 135. 273)

Um grande amor nasce de uma amizade.


 

 

Nosso Amor

 

Amor que começou com amizade.

Em versos, com carinho ele nascia.

Rimando amizade com saudade,

Distante, de saudades, ele se havia.

 

Distantes, se uniam em poesia,

Carinho, a amizade fez crescer,

Legando às suas almas harmonia,

O amor em seus corações se fez nascer.

 

Afasta diferenças existentes

E toma por completo os seus seres.

Su’almas se instalam em seus  viveres.

 

São duas, mas em amor, uma somente.

Que teve. num poema, sua semente,

Unindo suas vidas e haveres.

 

Manoel Virgílio