“1° de Abril” soneto de Manoel Virgílio

1° de Abril
Manoel Virgílio

Caiu, caiu, é primeiro de abril!
Gritavam os gaiatos na cidade.
Bons tempos! Muito riu quem assistiu
O dia de brincar co’a ingenuidade.

Padrinho, que era médico, é chamado
– Em casa, telefone não havia –
Pensando num cliente, apressado,
Correu para atender na padaria.

Cliente não havia, mas ele ouviu,
Apenas um metido a engraçado,
Gritando p’ra ele… primeiro de abril!

Um luso sai correndo p’ra ser herói,
Vai salvar a mulher, mas não é casado,
Não é “Manel”, nem mora em Niterói…