Triângulo Amoroso

Triângulo Amoroso
Manoel Virgílio

Na história que relato num soneto,
pretendem se casar co’a hipotenusa,
num triângulo amoroso, dois catetos
que brigam, muito brabos, pela musa.

Mas ela não define, no triângulo,
Se a algum dos dois catetos tem amor.
Não sabe com qual faz o melhor ângulo,
talvez com o que, em graus, tem mais valor.

Querendo, nesta luta ser melhor,
catetos, um maior outro menor,
sufocam essa pobre hipotenusa.

Assim, sob os catetos, só, reclusa,
faz queixa p’ra o amigo, ângulo reto:
– Socorro! Estão fazendo-me de objeto!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s